Conversando com meu pai...



Nhô filho: J. C. Oliveira (Tangerynus)
Nhô pai: Benedicto Osorio de Oliveira

- Hei pai, vamos conversar um pouco, pois é, raro, nós termos uma oportunidade de conversar. O senhor sai para ir trabalhar, eu também, mas hoje eu quero saber um pouco a história da sua família, da nossa família.
- Zé Carlos, tudo começou a partir da união matrimonial de: Francisco De Paula Ferreira e Maria Massola de Oliveira, e isso se deu por volta dos anos de 1869.  Que geraram o seu avô paterno José Osório de Oliveira, que nasceu na cidade de Brotas em 1870, casou-se em Ibitinga por volta de 1905?  Ele faleceu na cidade de Borborema no dia 6/5/1940 com 70 anos de idade, infelizmente até o momento dia 1 de junho de 1967, eu não tenho nenhuma informação sobre os meus avós.
O seu avô cresceu, ficou adulto e exercia a profissão de lavrador, nestas andanças ele foi parar na cidade de Ibitinga-SP, e que nesta cidade encontrou com a sua avó Julia Maria Machado, que veio de Araraquara-SP, sendo ela filha de: Adolfo Julio Machado e de Maria do Carmo Machado, que também não tenho informações das suas origens.
Enfim o seu avô José Osorio de Oliveira que era um cidadão romântico, propôs casamento a sua avó Julia Maria, ela aceitou, e desta união nasceram nove filhos, que foram eu Benedicto e mais oito (8).
1) Sebastiana (Tuca) que casou com Sebastião Leite - moravam no bairro de Indianópolis - SP - com gerações - Braz, Lurdes, Conceição, Ditinha, Terezinha, Jesus, Antonio, Josefa, Maria José (Freira), Eudoxia, Sebastião Leite Filho que era comissário de bordo da Real Aerovias. A prima Ditinha está morando em Quebec  (Canadá) desde 1965, e um dos filhos é engenheiro eletrônico da Academia Espacial do Canadá.
2) Maria Julia (Julica) que casou com Constante Polaco - moravam na cidade de Itápolis -SP - uma das minhas sobrinhas casou-se com um aviador de sobrenome Zitelli e se eu não me engano ele foi prefeito de Itápolis - na epoca ele fez a sua campanha para prefeito pilotando um avião. Com gerações - José, Roque, Ariovaldo, Auta, Aponina e mais...- A tia Julica faleceu em 1975, na cidade de Itapolis. O major Moacyr  Ziteli e o atual prefeito de Itapolis, e o seu filho Julio Ziteli foi eleito vereador.
3) Francisco (tio Chiquinho) que casou com a Lazara - moravam em Curitiba - PR - com gerações - Arlindo (Dico) - Cida, Vicente, Benta, José  e mais...
4) Maria do Carmo (tia Marieta) que casou com José Tomitão - segundo o José Tomitão Filho o sobrenome correto era TOMITAN de origem italiana, mas quando foi registrar no cartório o escriturário mudou para Tomitão, moravam em Arapongas - PR - com gerações - José Tomitão Filho, Amélia - Armando - Neuzo -  Josefina - Doraci - João - Alcides - Angelina - Ari - Julia . (Armando Tomitão foi radialista da antiga Radio Nacional SP). Quando o tio Vicente Liberato esteve em Sao Paulo para ser operado eu e o primo  Edson Shibuta íamos nesta emissora, e o nosso primo Armando Tomitão transmitia via-rádio o recado aos parentes que residiam em Munhoz de Melo. A curiosidade é que antes tinham um programa sertanejo dando a impressão que era realizado num auditório, mas não era, e sim num estudio e as palmas que iam pro ar eram dos próprios artistas.
5) José Osório (tio Oliveira)  que casou com a Lourença, irmã do Leão Salles Machado, secretário  do governador Ademar de Barros, e também do ex-governador Laudo Natel, diretor do Instituto Biológico de SP. - moravam em Munhoz de Melo - PR - com gerações. - José - Lourenço - Maria - Candinho - Edmur, Antonia. Segundo palavras da prima Mercedes Liberato Shibuta a tia Lourença Machado era prima do tio José Osório de Oliveira, que nós conhecíamos por tio Oliveira. Ela completou 93 anos de idade neste ano de 2006.
6) Benedicto Osório de Oliveira (*17/8/1916+12/08/1968) que casou com Maria Pereira Tangerino, graças ao bom Deus a nossa genitora ainda está viva - com gerações - José, Rubens, Ademir, Antonio, Neuza e Elizabete (adotiva)
7) Maria Osório que casou com Vicente Liberato - moravam em Munhoz de Melo - PR, sendo eles um dos fundadores do município acima citado - com gerações. Filhos: Mercedes, Vicente, José, João e Daniel. A sobrinha Mercedes Liberato casou com o Edson Shibuta que foi ex-seminarista. O interessante é que o Edson se tornou um exímio tocador de sanfona, que pra mim é algo formidável, isto porque eu nunca tinha visto um  japonês forrózeiro.
8) Maria Venância de Oliveira que casou com Elias dos Santos (Ferroviário) moravam em Porto Ferreira - SP - com gerações - Maria José - Eliana - (falecido José Guilherme)
9) Brás Osório de Oliveira que casou com Deolinda Pereira Tangerino - moravam no Ipiranga - SP - com gerações - Célia Regina
Depois de anotar todas essa informações sobre os familiares do senhor, eu gostaria de saber como é que o senhor foi parar em Porto Ferreira - SP?
- Zé Carlos, uma das razões disso foi que o meu pai José Osório de Oliveira faleceu no dia 6/5/1940, nesta época a nossa família estava estabelecida na cidade de Borborema-SP, devido o fato do seu falecimento a nossa família desmoronou, isto é, dos nove filhos(as) só nós três solteiros, que era eu Benedicto, o Brás e a Maria Venância e também a minha mãe Julia Maria de Oliveira, resolvemos mudar para outra cidade, mas não tínhamos uma cidade definida para fixar residência.
- Eu trabalhava no DER-Dep.  de Estrada e Rodagem, e de acordo com o andamento da construção da rodovia SP 215, nós estávamos trabalhando no trecho de Porto Ferreira, eu não me lembro bem, mas resolvi sair deste emprego e fixar moradia lá no Porto. Nós moramos um bom tempo numa casinha do sitio São Vicente, se eu não me engano, o sitio pertencia à família do Sr. Moda que ficava numa subida, atualmente é o Bairro Cristo Redentor. A sua avó Julia Maria faleceu no dia 21/8/1945. Nessa época estava terminando a famigerada guerra mundial, e lá de cima nós ficávamos observando o foguetório do povo da cidade, era só alegria. Moramos também no bairro de Águas Espraiadas, e tínhamos como vizinhos às famílias: do Juca Borges, Tonico Guardiano, Ercílio Januário, alias, o meu primo Hipólito Elisário de Godoy casou com a Lurdes Januário irmã do Cilico, cujo nome era Hercílio Januário.
- Zé Carlos eu lembrei de um fato acontecido quando nós trabalhávamos numa indústria cerâmica em Porto Ferreira, que não lembro muito bem, parece-me que houve uma sabotagem interna e acabaram envolvendo o seu tio Brás na história. Certo dia ele estava namorando a sua tia Deolinda Tangerino, lá bem próxima da igreja de São Benedito, chegaram alguns praças da Força Pública (policiais) e prenderam-no, mas logo foi solto, isto porque foi provado que ele não tinha nada com a história.
- É pai, vamos encerrar as nossas conversa por hoje, enfim foi muito bom conversar com o senhor, e ao saber essas informações quem sabe num futuro próximo seja possível compor a nossa árvore genealógica.
- Zé Carlos, finalizando eu vou te dizer mais uma coisa, se existe algo importante para mim, com certeza é a nossa família.
- Pai a minha benção...E que Deus nos proteja.
- Acabei de lembrar que o meu cunhado Vicente Liberato foi um dos fundadores do patrimônio conhecido por MUNHOZ DE MELLO, (Norte do Paraná), ele foi prefeito, inclusive existe uma rua com o nome da mãe do seu tio Vicente.
Nota: essa conversa foi por mim escrita em rascunho e bem guardada 1967, e agora resolvi digitar e salvar em disquete com documento de arquivo para fins de * genealogia.

O nosso bisavô Adolfo Julio Machado em vida tinha o título de "Capitão Machado", na região em que vivia, quem sabe na região de Araraquara, Votuporanga, Itapolis, Ibitinga, Borborema, Brotas etc, informações prestadas pela prima Josefa Leite Atalla, filha da tia Tuca e Sebastião Leite.
Em razão de publicar histórias na web acabei descobrindo três escritores na família (descendentes dos Machados), tais como: Leão Salles Machado; Ignácio Loyola de Brandão e Adolpho José Machado, filho de minha tia-avó Ana Machado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MINHA BISAVÓ FOI PEGA NO LAÇO?

Obras de Antonio Paim Vieira pertencem ao patrimônio histórico de Porto Ferreira

TRIO UIRAPURU