CARDOSO & DONIZETE



CARDOSO & DONIZETE
BANDA PORTO 2000

Dirceu Bosso - Teclado
Tangerynus - Sanfona
Recadinho - Guitarra
Ronilson - Sax
Mony - Vocalista
TANGERYNUS NO VOLANTE

Fui convidado a participar do grupo musical da dupla sertaneja “Cardoso & Donizete”, completando o quadro de músicos, isso em 1999.
A banda era formada por: Dirceu Bosso (teclado); Recadinho (guitarra); Ronilson (saxofone), e  Moni (cantora).
Ensaios e mais ensaios, o objetivo era gravar um cd, tendo musicas de vários compositores de Porto Ferreira, e também algumas do famoso humorista “Barnabé”, irmão do verdadeiro.
Muitos shows e bailes agendados e vamos nós dentro de um Ford 1.000 (baú), com os instrumentos, equipamentos de som  e demais componentes viajar pelas cidades da região.
Passou a faze mais difícil, enfim compraram um ônibus usado, que foi reformado, daí melhorou, sendo assim além da dupla e músicos iam também alguns familiares, às vezes somavam 25 pessoas no total, que iam para os eventos. Dirceu e o Cardoso se revezavam no volante.
As esposas dos músicos levavam salgadinhos de todo tipo, café etc., parecia que íamos para alguma praia do litoral.
Em algumas apresentações corríamos o risco de não receber o que foi combinado, mas depois de bater um papo com os responsáveis pelo clube, acabávamos recebendo, não era fácil não.
Em alguns clubes nos davam lanches, outros íamos a restaurante por conta do contratador (diretor), comia a vontade tudo o que tinha direito.
Não recordo quando foi, mas num certo dia, na volta de um evento, o Ronilson dormia sentado no banco com a boca aberta, e o Dirceu Bosso, muito brincalhão colocou na boca dele um sonrisal, que acordou assustado parecendo um cão raivoso, afinal em razão do conteúdo colocado na boca dele, se mostrou babando, e isso foi uma gargalhada coletiva. Em outra ocasião, após encerrar um baile na cidade de Leme, zona rural, o ônibus só pegava no tranco, coisa difícil em razão de que desta vez o local era praticamente um pasto de vaca, que todos nós tivemos que descer e ajudar empurrar.
Chovia muito nesta madrugada de um domingo, e o Ronuilson que estava ajudando a empurrar o ônibus, sumiu? Cadê ele?!. Logo em seguida estava ele dentro de um buraco todo cheio de lama, e vamos tirar ele de lá. Alguém falou. Que cara azarado, tudo acontece com ele, rsrsrsrs.
Outro fato curioso aconteceu num baile, cidade Mococa "Salão do Abrobrinha".
O bailão corria solto, todos se divertiam, eu puxava o fole, eis que aparece uma mulher loira bem próximo do palco, e levanta a saia. Nada por baixo, por pouco eu não caia do banco, e o Ronilson também presenciou tal cena. Coisa de louca, levantar a saia e nada por baixo, hehehe. Acontece cada uma...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MINHA BISAVÓ FOI PEGA NO LAÇO?

Obras de Antonio Paim Vieira pertencem ao patrimônio histórico de Porto Ferreira

TRIO UIRAPURU