Padre Franciscano



A distração da garotada
Era jogar futebol nos campos
De chão batido e todo dia tinha pelada
Marco de escanteio nos quatro cantos.
A bola rolava
Sem um tempo definido
Isso não importava
Mas não valia gol impedido.
Num domingo qualquer
Um padre Franciscano nos observa
Pensamos o que ele quer
Entrar no jogo ou ficar na reserva.
O padre Franciscano
Bateu palmas quando o jogo terminou
E a todos nós foi convocando
Para o “catecismo” e a gente rezou.
A troca de informações
Entre a garotada e o padre
Não teve reclamações
Enfim ele era uma autoridade.
Catecismo o que é isto
Sobre o assunto nada sabia
Praticava ele a doutrina de Cristo
Mas ler gibis ele proibia.
Era assim também em casa
Proibido ler gibis de todo tipo
Mas o menino sempre emprestava
Depois de ter lido.
Li uma história
Sobre o computador
Coisa que ficou na memória
Pra mim isso não tinha valor.
Na ilustração
Uma grande maquina
Cheio de botão
Papel de bobina.
Enfim antigamente
As coisas eram bem complicadas
Geração diferente
Hoje me lembro de tantas patacoadas.
Encerrou as aulas de catecismo
Padre Franciscano me questionou
Perguntando sem nenhum cinismo
Num palavreado que me revoltou.
A partir deste fato
Mudou minha cabeça totalmente
O latim foi deixado de lado
Não vou à missa frequentemente.
Nada contra as religiões
Cada um segue o que acha certo
São apenas minhas opiniões
Eu continuo cantando musicas do Roberto.

Comentários

  1. eu, SERGIO AUGUSTO DIBNER MARAVALHAS, DESEJO SER UM FREI FRANCISCANO . COMO FAZER? 41 97392672 TIM 41 87096380 CLARO mail sergiomaravalhas@gmail.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MINHA BISAVÓ FOI PEGA NO LAÇO?

Obras de Antonio Paim Vieira pertencem ao patrimônio histórico de Porto Ferreira

TRIO UIRAPURU