PISEI NUM PREGO ENFERRUJADO

TÊNIS JOGADO NA REDE DE ENERGIA ELÉTRICA

Já se vão 6 décadas no jardim da vida, e lembrei que nos tempos de criança, vivia eu com um dos pés ferido por um prego enferrujado, por um caco de vidro e até “mijacão”. Era algo comum, enfim andava pelos quatro cantos do bairro Vila Carioca, sempre descalço. Usar “paragata roda”, era coisa de gente remediada, chinelo tipo havaiana não existia, e mesmo que usasse daria no mesmo, era um frágil calçado popular. Se pisasse num prego, furava o calçado e também parte do pé com certeza.

Bairro em formação, casas de madeira pra todo lado, sempre sobrava uns cacos que continham pregos, isto porque, a madeira era usada por uma empresa importadora, o que era aproveitado era, o que não era jogava-se em qualquer lugar, tanto pelas ruas como também nos terrenos baldios.

Tendo terrenos baldios próximo de casa, era convite para a famosa pelada, isso a tarde quando já tínhamos voltado da escola primária, Rua das Municipalidades-Ipiranga-SP, nessa escola estudou também o ex-presidente “Lula”, que foi meu vizinho na Rua Albino de Moraes, 136.

Chegando em casa manquitolando por ter pisado em prego enferrujado, logo vinha o tio Brás com sua sabedoria cabocla, dizia que esquentando um arame quase em brasa, colocando bem próximo do ferimento evitaria o “tétano”. O tétano tem cura, mas é o estágio da evolução da doença que determina o tratamento eficaz. O doente, quando internado no hospital, permanece isolado em um quarto silencioso e escuro. Qualquer estímulo pode fazê-lo contrair-se todo. Os medicamentos usados são soro antitetânico, antibióticos, relaxantes musculares e analgésicos, além da vacina.

Estava eu dando uma geral no quintal de casa após uma reforma no beiral, eis que o carpinteiro jogou um pedaço de lata que estava pregada no caibro para evitar goteira, não percebi que havia um prego enferrujado, e pisei... ai ai ai ai...

O prego foi retirado por mim mesmo, em seguida, a dor aumentou, sangue saiu que nem água numa chafariz, e vamos para o Centro de Saúde mais próximo, sendo 12 horas não tinha ninguém, era hora do almoço, só poderia ser atendido às 14 horas.
A solução foi ir ao P.S., passei por um médico depois de esperar 15 minutos, mais 10 minutos de espera, me chamaram, já era outro médico. Disse ele, pode entrar, qual é o problema. Disse eu, acabei de pisar num prego enferrujado. Esse assunto só resolve no Centro de Saúde.

Retornei ao Centro de Saúde, sentei numa cadeira e fiquei esperando ser atendido, enfim a responsável chegou às 14:15, me atendeu, aplicou a vacina e fiquei mais tranquilo. Segundo o médico para evitar qualquer problema eu poderia aguardar até às 17 horas que não tinha problema com o famoso “tétano”.

Hoje todo mundo usa tênis e quando fica velho descartam em qualquer lugar, até na rede elétrica.

·  MIJACÃO: PISAR EM URINA DE CAVALO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MINHA BISAVÓ FOI PEGA NO LAÇO?

Obras de Antonio Paim Vieira pertencem ao patrimônio histórico de Porto Ferreira

TRIO UIRAPURU