CLUB ATHLETICO PAULISTANO x COMBINADO FERREIRENSE, 1925 - Miguel Bragioni




Os principais jogos da história ferreirense

A fim de descrever minuciosamente o impacto dos jogadores nas terras ferreirenses, abaixo se encontra a publicação posterior, do semanário “O FERREIRENSE”, de número 20, do dia 18 de outubro de 1925:

FUTEBOL

Conforme estava annunciado realisaram-se nos dias 11 e 12 os jogos de futebol entre o C. A. Paulistano e o combinado Ferreirense.

No primeiro jogo o quadro ferreirense não conseguiu oppor resistencia ás arremetidas dos visitantes tendo sido marcados 3 pontos que garantiram a victoria do C. A. Paulistano.

No segundo jogo, porem, o conjuncto local, melhor organisado, desfazendo a má impressao deixada com o jogo anterior, rechassou os ataques do “Glorioso” e organisou serias investidas contra o seu reducto final.

Mesmo assim, os “reis do futebol” marcaram dois pontos que lhes deram a victoria.

O JANTAR

Domingo, apoz o embate, realisou-se o jantar offerecido pela Irmandade do Hospital Dona Balbina ao sr. Dr. Washington Luiz e à Delegação do Club Athletico Paulistano.

Á mesa sentaram-se os srs. Senador Dr. Washington Luiz; Senador Procopio de Carvalho; Deputado Dr. Prado Junior; Dr. Carlindo Valeriani; Dr. Mario Cardim; F. Pettinati da “Folha da Noite”; Deputado João Procopio Sobrinho; Mariano Procopio; Orlando Pereira; Oracy Gomes e jogadores do Paulistano.

Ao champagne discursou o prof. Oracy Gomes que em nome da Irmandade do Hospital Dona Balbina agradeceu a visita que faziam a Porto Ferreira o sr. Dr. Washington Luiz e a Delegação do Paulistano.

A esta offereceu, como recordação desta cidade, um fino bronze com a seguinte dedicatória, “Ao Club Athletico Paulistano, Porto Ferreira reconhecido”.

Em nome da Delegação fallou o Dr. Mario Cardim, secretário daquelle club, agradecendo.

A seguir, pelos rapazes do “Glorioso” foram levantados diversos “hurras” e “allegoaks”.

O BAILE

Decorreu animadíssimo o baile offerecido à Embaixada Esportiva. As dansas prolongaram-se até a madrugada reinando sempre a maior alegria.

O serviço de “bar” esteve irreprehensível.

A DESPEDIDA

Os rapazes que compunham o quadro que nos visitou deixaram esta cidade terça-feira pela manhã, motivo pelo qual não lhe foram tributadas pelo povo as homenagens que merecem”.

Em 1999, a TV esportiva ESPN conseguiu resgatar um excerto da filmagem de uma das vindas do time do Club Athletico Paulistano, acervo do sr. Dionísio Fenili, possibilitando um programa específico sobre o assunto.

CURIOSIDADE

O professor João Teixeira publicou um artigo curiosíssimo referente a uma traquinagem de um cidadão de Porto Ferreira:

ENTERRADO VIVO

Alpoim apareceu em Porto Ferreira em 1923 e tornou-se amigo de todos.

Quando houve a partida de futebol entre Porto Ferreira Futebol Clube e o Clube Atlético Paulistano da capital paulista, na inauguração do hospital Dona Balbina, o Alpoim se propôs a ser enterrado vivo na praça de esportes local e ficar durante todo o tempo de duração da peleja futebolística debaixo da terra.

Isso foi feito. A cova foi aberta com sete palmos de profundidade, bem na parte do barranco que atualmente fica em frente à quadra para futebol de salão.

Antes de começar o jogo, o Alpoim, em traje árabe, e sob a vista dos curiosos entrou na cova e deitou-se no fundo.

Perto da cabeça e dos pés do Alpoim estavam dois pequenos fortes cavaletes. Sobre os cavaletes colocaram três ou quatro tábuas grossas, a fim de que o Alpoim não fosse esmagado pelo peso da terra. Encheram, com terra, a cova de sete palmos de fundura.

O jogo entre o P.F.F.C e o C.A.P. começou.

Depois de uma hora e quarenta e cinco minutos deram inicio a retirada da terra da cova onde estava enterrado vivo o Alpoim. Depois de mais de uma hora de trabalho, o Alpoim sob calorosa salva de palmas e espocar de rojões foi retirado vivo da cova.

Foi aquela Festa!

Conheci perfeitamente o Alpoim, mas nunca consegui saber o seu verdadeiro nome e muito menos porque ele quis dar essa prova de coragem. Isto se deu em 31 de março de 1924.*”

Em outro momento, serão divulgadas outras histórias do futebol de Porto Ferreira e de seus jogadores.


(*) A data foi confundida pelo autor, o fato aconteceu em 5 de abril de 1924. Texto copiado do Jornal do Porto, em 8 de abril de 2011. O tempo passa e as histórias e estórias ficam, obrigado Vivaspcom

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MINHA BISAVÓ FOI PEGA NO LAÇO?

TRIO UIRAPURU

UM GALO AMARRADO PELO PÉ!!!