MUCUNÃ





Ganhei de um caboclo
Uma semente de mucunã
Pra livra-me do “ma oiado”
E manter a mente sã.

A vida ia bem obrigado
Mas por causa de um “dotor”
Era pobre ficou rico abilolado
Prejudicou-me só pra ver minha dor.

Em tempos passados
A mae dele eu socorri
Fiz isso e nada recebi
Mas nem muito obrigado.

Enfim fui solidário
Acredito que cai num armadilha
Cai no conto do vigário
Dia de Santo Antônio tocarei na quadrilha.

A pesar do “dotor” me ferrar
Pra  ele nada desejo de maldade
Só queria saber o motivo de me prejudicar
A vingança entrego a Deus com lealdade.

Assim vou pagando,
Minha penitência,
Os Deus vão rogando,
Só me resta ter muita paciência.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MINHA BISAVÓ FOI PEGA NO LAÇO?

Obras de Antonio Paim Vieira pertencem ao patrimônio histórico de Porto Ferreira

TRIO UIRAPURU