A Era Vargas - 2ª parte

Aula 27 e 28  A Era Vargas – A modernização em curso

Transformação da economia:
Agrário-exportadora para sociedade urbano-industrial
“modernização conservadora”
Processo de industrialização realizado com a contenção das classes populares e despolitização da sociedade:
- Extinção dos partidos políticos
- Liberdades contidas (censura e repressão de manifestações)
- Movimento operário amordaçado.

Estado Brasileiro – defesa da indústria
Política Nacionalista com intervencionismo Estatal (Início do modelo estatizante: criação de empresas estatais)
Indústria de Base – siderúrgica
1942 – CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) em Volta Redonda (RJ) - financiamento dos EUA para construção.

Órgãos criados na Era Vargas:
Departamento Nacional do Café
Instituto de Açúcar e Álcool
Instituto Nacional do Sal
Superintendência da Moeda e do Crédito
Conselho Nacional de Política Industrial e Comercial
Criação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

 Política Trabalhista
Legislação trabalhista – Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) 1943:
Salário mínimo
Jornada diária de 8 horas de trabalho
Férias remuneradas
Repouso semanal remunerado
Criação do Ministério do Trabalho
Criação da Justiça do Trabalho
Criação da Carteira de Trabalho
Regulamentação do trabalho feminino, do noturno e do de menores.
Deixaram de fora os trabalhadores rurais!
Sindicalismo corporativista
Crescimento da classe operária
Vargas – conter o movimento operário, reprimindo manifestações e implantando uma estrutura sindical.
Trabalhadores reunidos em sindicatos por categoria profissional vinculados ao Estado – forma de controle dos trabalhadores.
Peleguismo – líderes sindicais.

Aula 28

Início da 2ª Guerra Mundial em 1939
Getúlio Vargas adota uma posição de neutralidade
Alemães venderam armamentos para o exército brasileiro e ofereciam créditos bancários melhores que os ofertados pelos bancos americanos.
Grupos políticos ligados a Vargas eram simpatizantes do regime alemão.
1941 – ataque à base americana de Pearl Harbor pelos japoneses.
1942 – bombardeio de navios mercantes brasileiros.
Brasil decide entrar na guerra do lado dos aliados.
Construção de bases americanas em Natal, Recife e de uma pista aérea em Fernando de Noronha.
1944 – FEB (Força Expedicionária Brasileira) 25 mil pracinhas enviados para a Itália.

Efeitos da Guerra

Apoio às forças democráticas criou uma contradição interna para o Estado Novo
Vargas acenava com projetos de redemocratização, mas manobrava para continuar no poder.
Intelectuais, associações sindicais, estudantes e outras categorias se uniram em torno do fim da ditadura.
[Ao mesmo tempo existia o movimento do Queremismo, que buscava a permanência de Getúlio Vargas no poder.

Pressionado, Vargas comprometeu-se a realizar eleições. Organizaram-se partidos políticos nacionais, que lançaram candidatos, enquanto o próprio Vargas mantinha-se numa posição dúbia em relação à possibilidade de candidatar-se. O prestígio de que então desfrutava junto aos trabalhadores urbanos fazia com que seus passos fossem decisivos para os rumos da eleição. Nesse contexto, surgiu em São Paulo, entre os meses de março e maio, o movimento da panela vazia, manifestação pioneira em defesa de sua permanência na presidência. Logo em seguida, ainda no mês de maio, foi lançado o movimento queremista, no Rio de Janeiro. Os queremistas reivindicavam o adiamento das eleições presidenciais e a convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte. Caso as eleições fossem mesmo confirmadas, queriam o lançamento da candidatura de Vargas. (fonte: CPDOC.fgv.br)

Vargas foi deposto pelo exército no final de 1945. Estava terminado O Estado Novo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MINHA BISAVÓ FOI PEGA NO LAÇO?

TRIO UIRAPURU

UM GALO AMARRADO PELO PÉ!!!